Cheque nominal ou ao portador?

  • Nominal não à ordem só pode ser apresentado ao banco pelo beneficiário indicado no cheque e não pode ser transferido pelo beneficiário;
  • Ao portador não nomeia um beneficiário e é pagável a quem o apresente ao banco sacado. Não pode ter valor superior a R$ 100,00.

A principio para maior segurança, você deve preencher um cheque como nominal, ou seja, declarar, o nome da pessoa ou empresa, para o qual está fazendo o pagamento. Com isto, a pessoa que irá ser beneficiado com o cheque não poderá alegar, depois, que não recebeu.

Cheque de valor superior a R$100,00 tem que ser nominal, ou seja, trazer a identificação do beneficiário.

O cheque de valor superior a R$100,00 emitido sem identificação do beneficiário será devolvido pelo motivo 48 - cheque emitido sem identificação do beneficiário - acima do valor estabelecido.

Em caso de perda do cheque nominal, o emitente e o beneficiário estarão mais seguros, porque ninguém poderá recebê-lo junto ao banco, porque terá que se identificar para levantar o dinheiro.

Embora seja previsto em lei que cheques ao portador não podem ultrapassar o valor R$ 100,00, na prática é muito comum emitir cheques de diversos valores com o nominal em branco (ao portador).

Assim possibilitando com que o cheque seja utilizado como moéda de troca entre fornecedores terceiros e afins, dificultando o contato com a ultima pessoa que esteve em posse do cheque.

Quando isso acontece, primeiro é necessário solicitar a microfilmagem e o histórico do cheque verificando para quem o cheque foi passado e a conta que foi depositado.

Se mesmo com a microfilmagem do cheque devolvido em mãos, realizando todos procedimentos de busca ainda não foi possível encontrar a pessoa para quitar a sua dívida. O próximo passo é procurar ajuda profissinal especializada para regularizar sua situação.